Com gol de Vitinho, Inter vence Coritiba e conquista a segunda vitória fora de casa

13 de setembro de 2015

A segunda vitória do Inter fora de casa no Brasileirão veio sem uma atuação de destaque ou com brilho individual. Com um gol de Vitinho, o time de Argel conquistou três pontos, subiu na tabela e viu a distância para o G-4 diminuir. A postura e o discurso tanto da direção quanto da comissão técnica seguem com o mantra do “jogo a jogo”, mas a realidade dos gaúchos no campeonato se mostra promissora a 13 rodadas do final.


A calculadora para uma vaga na Libertadores é otimista, uma vez que os próximos dois jogos são no Beira-Rio — Corinthians e Figueirense — e, dependendo dos resultados da 25ª rodada, os colorados podem ver o quarto colocado a quatro pontos na tabela do nacional.

O desempenho do Inter no primeiro tempo foi muito abaixo do esperado. É verdade que Argel Fucks estava sem D’Alessandro, lesionado, e Eduardo Sasha e Nilton, suspensos pelo terceiro amarelo, mas a escalação que o treinador levou a campo foi a principal causa para a improdutividade gaúcha no Couto Pereira. Lento, com uma postura defensiva ao extremo, o Inter parecia jogar por uma bola no Paraná.



A improvisação de William no meio de campo não deu certo. Mesmo que o garoto de 20 anos tenha começado a carreira no setor, a falta de entrosamento com Wellington Martins e Rodrigo Dourado foi responsável pela ineficiência do setor. Dourado, inclusive, corria de um lado a outro na intermediária defensiva no intuito de conter as investidas de Lúcio Flávio.


A presença de Léo na lateral direita tirou do Inter uma jogada costumeiramente promissora: as triangulações e os cruzamentos para o meio da área. Isolado na armação, Alex pouco fez. Ainda que tenha chutado cinco vezes ao gol do Coritiba, Wilson sequer sofreu qualquer tipo de pressão debaixo das traves. Neste contexto, restou ao Inter a ligação direta da defesa ao ataque na aposta pela velocidade de Vitinho e Valdívia.



O gol marcado por Vitinho, aos 48 minutos do primeiro tempo, veio de maneira inesperada. A defesa do Inter afastou uma falta cobrada por Ruy com um chutão, Cáceres se enrolou para afastar e Valdívia conseguiu dominar a bola e passar a Vitinho. No primeiro chute, Wilson fez a defesa. Mas, no rebote, o atacante conseguiu mandar para o gol.

— Temos que melhorar um pouco no segundo tempo para ver se fazemos o segundo gol — apontou Vitinho.


O Coritiba passou a propor o jogo no segundo tempo. Tentava o gol de empate a partir de jogadas do meio de campo, principalmente com Lúcio Flávio. Kleber Gladiador, visivelmente fora de forma, esbarrava nos zagueiros colorados em busca de faltas próximas à área. Sorte do goleiro Alisson que o árbitro paulista Raphael Claus não avalizou a malandragem do atacante. Apenas aos 28 minutos da etapa final que o ex-gremista forçou o camisa 22 do Inter a uma boa defesa após um chute cruzado de dentro da área, pela esquerda.


Com Rafael Moura e Anderson Argel tentou mudar a postura do Inter no Couto Pereira. Deixou de lado a velocidade dos garotos na frente para aumentar a estatura da equipe do Inter para bolas aéreas, tanto para o ataque quanto para a defesa. Aos 38 minutos, Moura auxiliou a zaga em lance polêmico. com a bola no alto, o atacante do Inter empurrou Kleber Gladiador dentro da área. Raphael Claus nada marcou e a torcida do Coritiba protestou com uma grande vaia.


Mesmo sem convencer, a vitória faz o Inter dormir na primeira página da classificação do Brasileirão. Respira aliviado pela pausa momentânea na oscilação que vinha apresentando a cada rodada no Brasileirão. As duas vitórias em sequência – Palmeiras e Coritiba – fazem até mesmo o torcedor sonhar com uma vaga na Libertadores. O zagueiro Paulão, contudo, é prudente:

— Não pensamos em G-4. Pensamos no próximo jogo, sempre — resumiu o defensor ao final da partida.


Fonte: Zero Hora

© Védera Nutrição Animal - Todos os direitos reservados.

- AOVIVO - Informação 24h de plantão