Pistas de corrida deverão ser construídas esse ano no Parque Municipal em Carazinho

16 de junho de 2016

Tags:Carazinho
Foto Divulgação

A construção de quatro pistas de corrida para a prática de diferentes modalidades esportivas de velocidade no interior do Parque Municipal João Alberto Xavier da Cruz está cada vez mais próxima de se tornar realidade. Segundo Rogério Assumpção, presidente da Liga Carazinhense de Pilotos e membro da ASPROTURBO (carros aspirados e turbo), a parte documental está concluída.

“Estamos esperando a sinalização da Prefeitura para saber se poderemos iniciar os trabalhos agora ou somente após as eleições municipais”, explica. O projeto irá contemplar as modalidades de Veloterra, Velocar, Arrancadão e Motocross, onde mais de 300 pilotos carazinhenses participam atualmente de competições regionais, estaduais e até mesmo nacionais, levando o nome da cidade através do esporte. O Parque Municipal possui uma extensão de 206 hectares, mas a área pleiteada pelas duas entidades esportivas junto ao Executivo Municipal é de 10 hectares de campo e não de mata nativa. “O local que solicitamos é o mesmo onde antigamente havia uma das melhores pistas de Motocross do Rio Grande do Sul. O saudoso piloto Ari Capeletto construiu e se sagrou campeão gaúcho naquela pista”, destaca Assumpção.



O presidente da Liga Carazinhense de Pilotos revela que a pista de Arrancadão deverá ser asfaltada. Além dela haverá um autódromo de terra, para as provas de Velocar. “A equipe Racing Car de Carazinho promove o Campeonato Sul-Brasileiro. No domingo passado teve uma etapa em Encruzilhada do Sul. Temos uma equipe de Carazinho promovendo o campeonato gaúcho e não temos um autódromo no município. Queremos construir aqui, um dos melhores autódromos do Rio Grande do Sul”, garante. “Também vamos construir uma pista de Motocross, pois além do Visotto que ficou em 2o lugar na última prova do Campeonato Gaúcho, há outros carazinhenses participando de competições oficiais e também não temos uma pista profissional de Motocross. É só melhorar e remodelar a pista antiga que foi feita pelo Capeletto”, completa.



O projeto prevê ainda, uma pista de Veloterra, para absorver os mais de 100 pilotos que competem no município, uma sede para os Trilheiros e uma pista de aeromodelismo, pois hoje Carazinho tem dois clubes, mas nenhuma área para a prática da modalidade.



CARAZINHO POSSUI PILOTOS DE PONTA


Assumpção ressalta que algumas empresas e até mesmo competidores estão apoiando a iniciativa devido ao alto nível desses esportes no município. “Temos o Perigoso que gastou mais de R$ 500 mil em um carro que possui quase 2.000 cvs, feito em São Paulo. Só tem um lugar aqui no Rio Grande do Sul que ele pode correr, que é o Veloparque. É um dos carros mais fortes do Brasil. Hoje Carazinho é a cidade que mais tem carros de competição de arrancadas no Rio Grande do Sul. Temos mais de 30 carros e pilotos de ponta aqui, que podem liderar qualquer tipo de campeonato”, enfatiza.


“Há outros pilotos se destacando, como o Alex Power, que comprou um Ômega de Stock Car e está correndo em uma categoria de carros importados. O Lambari bateu o recorde do tempo dele no Veloparque, tem um Gol muito forte também. O pessoal investiu bastante em seus carros de competição”, completa. Conforme Assumpção não há região no Rio Grande do Sul mais indicada que a de Carazinho para ter uma pista de Arrancadão. “Eu promovi quatro provas aqui, todas elas tiveram de 130 a 140 carros. Ninguém coloca toda essa quantidade de carros no Estado. Nós estamos em um dos maiores entroncamentos rodoviários do Sul do Brasil, fica mais fácil o acesso para um maior número de pilotos participarem”, justifica.



SAIBA MAIS SOBRE O PROJETO


O presidente da Liga Carazinhense de Pilotos explica que a utilização da área para tal finalidade já teve a aprovação por unanimidade dos vereadores; o prefeito Renato Süss também já sinalizou positivamente ao projeto, assim como o Departamento Jurídico da Prefeitura. “Agora está sendo avaliado pelo Departamento Municipal do Meio Ambiente e a Secretaria do Planejamento. Está tudo aprovado, só falta a tramitação final dessa documentação”, salienta.


“Financeiramente no começo não vamos precisar de praticamente nada, pois o autódromo de terra precisa só da parte de maquinário, assim como o Motocross e Veloterra. A pista de asfalto vamos fazer ela só de terra inicialmente e depois começaremos a arrecadar fundos para asfaltá-la. A brita nós já temos, vamos começar devagar. Também vamos colocar banheiros, churrasqueiras, uma área de camping, futebol e lazer. Tudo isso vamos arrecadar com empresas parceiras e o que a Prefeitura puder ajudar”, esclarece o presidente da Liga, enfatizando que as pistas serão um incentivo para o esporte, turismo e o comércio local. No ponto de vista ambiental, as duas entidades já possuem cerca de 600 mudas de árvores nativas para ajudar no reflorestamento do santuário ecológico.(Diário AM)


© Védera Nutrição Animal - Todos os direitos reservados.

- AOVIVO - Informação 24h de plantão