Uruguaianense Namorada de Teori trabalha em rede de Joalherias usada por Cabral para lavar dinheiro

23 de janeiro de 2017

Tags:
A namorada do ministro Teori Zavascki, relator da Lava Jato no Supremo Tribunal Federal morto em um acidente aéreo na quinta (19), trabalha na rede Antonio Bernardo, uma joalheria usada por Sergio Cabral para lavar dinheiro de esquemas de corrupção no governo do Rio de Janeiro, segundo denúncias da operação Calicute.
Liliana Schneider saiu em uma coluna do iG, em outubro de 2016, assinada pela jornalista Lu Lacerda, como “nova namorada” de Teori. “(…) a Lili é do Sul, mas mora no Rio há 20 anos e trabalha nas lojas do joalheiro Antonio Bernardo há 17 (atualmente é gerente de uma delas).”
“Amigo do ministro afirma que os dois já pensam em se casar apesar de o romance ser recente, de poucos meses. Perguntada sobre a possibilidade de casamento, Liliana, que é tão discreta quanto o namorado, responde: ‘Nada disso, nada disso!’ – esclarecendo que não quer comentar o assunto. Esta semana, Teori foi muito falado ao comentar a maneira como o Ministério Público Federal apresentou a denúncia contra o ex-presidente Lula, ao que chamou de “espetacularização”, escreveu a colunista.
Segundo reportagem de O Globo, o Ministério Público Federal desconfia que Cabral usava a rede de joalheria para lavar dinheiro adquirindo mais de 100 itens ao longo dos 10 anos. “A revelação foi feita por Vera Lúcia Guerra, gerente da loja [Antonio Bernardo] no Shopping da Gávea. De acordo com ela, Cabral comprou R$ 5,1 milhões em joias pelo sistema paralelo, pagando em espécie em operações sem nota fiscal ou comunicação ao Conselho de Controle de Atividades Financeiras do Ministério da Fazenda (Coaf).”
Maria Luiza Trotta, da loja H.Stern, também revelou que Cabral comprou um total de R$ 2,1 milhões sem notas fiscais, que foram emitidas somente após a operação Calicute ter sido deflagrada. (Luis Nassif/CGN)

© Védera Nutrição Animal - Todos os direitos reservados.

- AOVIVO - Informação 24h de plantão